Primeira sessão no cégep ✓

Salut mes amis.

Depois de um período praticamente dedicado aos estudos, cá estou para dividir as experiências da minha primeira sessão no cégep.

Pra quem ainda não sabe, optei por fazer um DEC no Cégep Garneau. Foi uma decisão difícil, mas bem pesquisada. Se eu disser que ainda não tenho certeza se foi a melhor opção, acho que muitos vão se surpreender, outros vão me chamar de doida e pouquíssimos vão me entender. Afinal, em se tratando de imigração, nada é certo. Por mais que a gente reflita sobre o rumo profissional, sempre tem uma duvidazinha rondando a cachola. Por outro lado, se ficar pensando nisso ou naquilo, a vida passa e você perde tempo. No meu caso, já se foram 18 meses em Québec…

Se será a melhor opção profissional pra mim, só vou descobrir depois de concluir o curso. O bapho recente é que amei minha sessão de outono e já estou devidamente matriculada pra de inverno. Ontem fiz a última prova do Tremplin DEC e deu tudo certo. Minha média final nas quatro matérias passou dos 80% e isso me deu maior gás pra continuar, além te ter aberto as portas do curso Techniques en documentation. Mediante este desempenho, o conselheiro pedagógico me ofereceu seis matérias para o próximo período e eu aceitei. Como disse uma sábia chefa de governo: “Vamos deixar a meta aberta, mas quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta!”. Então, minha vida estudantil se resume em deixar a meta aberta e aceitar os desafios.

De modo geral, não achei o cégep difícil, mas também não foi fácil. Como sou extremamente metódica, tive mais dificuldade para fazer os trabalhos e apresentá-los em sala do que as provas. Óbvio que melhorei bastante no francês nosso de cada dia, mas a fala… Leio e escrevo muito bem hoje, graças ao cégep. No entanto, ainda não tenho segurança pra falar. Minha apresentação oral sobre uma análise literária de uma poesia québécoise, por exemplo, me deixou p#t@. Eu estudei bastante, fiz um roteiro bem legal, sabia todo o conteúdo, porém… só foi abrir a boca que me embananei toda e o mais dramático é que às vezes eu sabia que estava conjugando errado. Que raiva! Enfim, minha professora elogiou a apresentação e disse que me saí bem. Disse ainda que nós imigrantes nos cobramos muito. Sei lá… no fundo, no fundo, a gente sabe das nossas mazelas e dificuldades. É por isso que me considero muito fraquinha ainda no francês oral sim. Mas a meta continua aberta e tenho um longo caminho pra praticar e, óbvio, estudar.

Aliás, está aí uma coisa que fiz direitinho durante a minha primeira sessão. Estipulei um horário de estudos, de 08h às 17h, de terça à sexta e com direito a alguns finais de semana mergulhada nos livros e nas pesquisas. Nas segundas, eu trabalhava como voluntária de manhã e só chegava no cégep às 13h. Quando não tinha aula, ficava na biblioteca pois descobri que em casa o estudo não rende. A gente sempre para pra fazer alguma coisa ou pra comer alguma coisa. Nessas quinze semanas, matei somente uma aula, previamente justificada, pois aceitei o convite da comissão escolar onde faço o voluntariado para participar de uma formação.

Elementar que passei por uns apertos também. Tive dois ou três finais de semana de cão, pois precisava digitar um projeto de pesquisa e estava com muitas dores musculares no pescoço e nos ombros, provenientes das aulas de defesa pessoal, má postura e tensão. Movida a relaxante muscular e anti-inflamatório, dei conta do recado. Nem vi o tempo passar. Já estamos na boca de 2016.

E essa vida de cégep foi contagiosa. Fabricio já está matriculado também. Surpresos? Pois é… tem mais novidades, mas vamos deixar pro próximo post. Volto em breve, ainda em 2015. Prometo!

Bises

E adivinha quem chegou?

E adivinha quem chegou?

b2

Essa aí é a Francesa, a nossa árvore.

Anúncios

Sobre Les Brazucois

:: Fabricio & Nilian . Aventuras e desventuras desses dois imigrantes em Québec, Canadá ::
Esse post foi publicado em Voilà. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Primeira sessão no cégep ✓

  1. Excelente, quanta dedicaçao hein! Parabéns ao casal e boa sorte para vocês por aqui!

  2. Rômulo Leitão disse:

    Só pra dizer que adoro o blog de vocês! =]

  3. Ana disse:

    Très bien! Que venha a proxima sessao! O bom de brasileiro é que a gente nao desiste nunca, eu choro, xingo, reclamo, mas nao desisto. Passamos por muita coisa até chegar aqui e nao é o idioma e outras dificuldades que vao nos deter, nao é mesmo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s