Mãe, sobrevivemos aos -40*C

Charny, 13 de janeiro de 2015.

Ô minha Mãe,

Espero que esteja tudo bem por aí e, principalmente, que esteja animada para nos visitar em breve.

Escrevo esta carta com muita saudade no coração e para dizer que estamos sobrevivendo ao famoso gelo das terras do norte. O inverno canadense é tudo aquilo que ouvimos mesmo e mais alguma coisa. O dia mais frio até agora chegou a -40*C e nossos narizes não caíram. Estamos bem.

Agasalhamos direitinho, do jeito que você mandou. Só pra ficar tranquila, levamos cerca de dez minutos para nos vestir antes de sairmos de casa. Parecemos duas cebolas de tanta camada de roupa. Segunda pele, calça, moleton, um super casaco todo acolchoado e com capuz  (aqui eles chamam de manteau), gorro, luvas, cachecol, meias de lã e uma super bota impermeável e toda forrada. Acho que tá bom, né?! Parece piada, mas chego a suar com essa roupaiada toda.

Nosso aquecedor varia de 18 a 20*C e não sentimos frio dentro do apartamento. Está super agradável e de vez em quando aquecemos nosso sangue com uma boa garrafa de tinto seco. Cafezinho e chocolate quente tornaram-se amigos inseparáveis.

Todas as manhãs, fazemos uma malhação tirando a neve do carro. É um exercício e tanto e em dias de tempestade e ventania é difícil até de identificá-lo, pois todos os carros ficam branquinhos e fofinhos (a maioria das garagens dos prédios daqui são externas). Sorte que as vagas são marcadas. Tem um tal de lave-glace, um líquido que parece com aqueles coqueteis de festas de casamento e baile de formatura, que limpa o vidro traseiro e dianteiro numa esguichada só. Parece mágica! Outro trem famoso e danado de doido é o verglas, uma camada de gelo que repousa inocente, mas escorrega feito folha-de-bananeira-barranco-abaixo-em-dia-de-chuva. Por enquanto, não levamos nenhum tombo, mas nosso carro já deu algumas sambadinhas pelas ruas e avenidas.

É claro que já cometi um erro crucial, ou melhor, glacial quando tirei minhas luvas para bater as fotos que estou enviando junto com esta carta. Meus dedos quase congelaram! Foi um custo voltarem ao normal. Senti dor e curiosamente a sensação parecia de queimadura. Acho que preciso de um pau de selfie, Mãe.

Outra patetice foi sair para caminhar com -25*C. Com dez minutos de passeio, meu nariz e minhas bochechas anestesiaram. Fiquei com a cara vermelha feito as adolescentes que exageram no blush-pink-mary-kay. Depois deste aperto, comprei uma balaclava (tipo uma toca ninja). Só errei na escolha da cor. Marron. Passei de adolescente-blush-pink-mary-kay para Ewok. Vivendo e aprendendo… no inverno.

É bom cuidar da saúde. Por isso, mastigamos um comprimido de vitamina C todo dia e até agora nenhum resfriado ou gripe se estacionou por aqui. Tenho me sentido um pouco irritada e introspectiva, quase uma TPM constante (coitado do Fabricio), mas já descobri que é por falta da luz solar. Os dias são mais curtos, a noite chega por volta das 16h. Viva a vitamina D!

Você não vai acreditar se eu te disser que aquele rio (o Saint-Laurent) onde fizemos a travessia de balsa no verão está praticamente coberto de gelo. Acho que nem São Tomé acreditaria, Mãe. Às vezes, Fabricio e eu temos a sensação de que estamos em outra cidade, pois a paisagem é completamente diferente, mas permanece maravilhosa!

E mesmo com todas essas gafes e apertos de primeira viagem, nós estamos apaixonados pelo inverno.

Fico por aqui deixando todo o meu carinho.

Inverno, primavera, outono ou verão estamos te esperando.

De sua filha que te ama muito,

Nilian.

Agasalhada, mas com os dedos congelando, Mãe!

Agasalhada, mas com os dedos congelando, Mãe.

Eu com minha balaclava (brincadeirinha)

Eu com minha balaclava (brincadeirinha).

Agasalhada.

Tem tanta roupa embaixo que chego a suar.

Tem um rio ali atrás, Mãe!

Tem um rio ali atrás, São Tomé!

Tem uma cachoeira ali também, São Tomé.

Tem uma cachoeira ali também, São Tomé.

Eu não disse?!

Eu não disse?!

Anúncios

Sobre Les Brazucois

:: Fabricio & Nilian . Aventuras e desventuras desses dois imigrantes em Québec, Canadá ::
Esse post foi publicado em Voilà. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Mãe, sobrevivemos aos -40*C

  1. thousandsaresailing disse:

    No meio do ano vou para Calgary e estou tentando me acostumar lendo relatos de inverno como esse, mas claro que vou ter muitas surpresas mesmo tentando me informar de tudo e mais um pouco. Adorei o post e o bom humor! Grande abraço para vocês!

    • Brazucoise disse:

      Olá. Você vai chegar no verão… Aproveita muito!
      Venha passear por estas bandas daqui. Québec é muito linda.
      Convite feito, heim!!!
      Boa sorte. Abraços…

      • thousandsaresailing disse:

        Vai ser bom chegar no verão para a gente ir acostumando mesmo. Com certeza quero passear muito em Québec, obrigada pelo convite!
        Vocês são um dos poucos blogs da parte francesa que estou seguindo, achei muito interessante o blog de vocês, estive hoje a tarde vendo vários posts. Uma coincidência: vocês são de Juiz de Fora, eu morei oito anos lá para estudar na graduação e mestrado! Amo, amo, amo aquela cidade, talvez se não tivesse mudado de lá não estaria mudando para o Canadá (brincadeira rsrsrs)! Abraços

      • Brazucoise disse:

        Fico MUITO feliz em saber que o Brazucoise rouba um cadim de seu tempo…rs! É sempe um prazer.
        Quer dizer que vc morou na Princesinhadiminas ?! Que legal!!
        Pena que ela perdeu a majestade 😥
        Sou nascida e criada naquela cidade, mas a violencia se instalou por conta do crack e vi minha cidade mudando pra pior. Lastimável!
        Cá pra nós, emigrar foi a melhor decisão que Fabricio e eu tomamos. Foda é a saudade dos amigos e entes queridos… Vida que segue. Se tiver alguma dúvida e quiser bater um papo via skype teremos maior prazer em ajudá-los (nilian.correa).
        Boa sorte e mi casa su casa, ok?!
        Até breve
        Nilian

      • thousandsaresailing disse:

        Nossa Nilian, que pena é ouvir isso, mudei de JF em 2010 e não sabia que estava assim… lamentável mesmo… fiz muitos amigos lá e acho as pessoas de lá super educadas, agradáveis e simpáticas. Não é a toa que você é de lá, estou comprovando a simpatia dos juizdeforanos mais uma vez! Vou te add no skype sim, muito obrigada! Ainda não tenho casa em Calgary mas estão super convidados para nossa futura casa lá 😀
        Obrigada por oferecer ajuda.
        Até breve (no Canadá)!

  2. Cleuber Sousa disse:

    Olá Nilian.
    Embora não pareça, acompanho vocês dêsládiJuizdiFora.
    Também emigrei, só que para Winnipeg.
    Gostei muito desse post, eu também tenho tentado tranquilizar o “povo do Brasil” a respeito do inverno …. se bem agasalhados, não tem problema.
    Se você não se incomodar, vou compartilhar seu post no Face.
    Sucesso para vocês!!
    Cleuber

    • Brazucoise disse:

      Oi, Cleuber.
      Legal demais saber que acompanha o Brazucoise desde a louca e desgastante gestação do nosso visa.
      É um prazer saber que vai compartilhar o post. Isso aqui é domínio público.
      Cê tá em casa, sô!!!
      Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s