Há males…

Salut mes amis!

Quem acompanha o Brazucoise sabe como foi desgastante o parto do meu visto de Residente Permanente, principalmente na etapa dos exames médicos devido a uma cicatriz no ápice do meu pulmão direito que ganhei de uma tuberculose em 2001.

Quem visita o blog pela primeira vez  e quiser se inteirar do assunto é só dar uma espiada na página :: timeline du Brésil :: Tem um resumão lá.

Assim que fizemos o landing em Toronto fui  intimada a procurar um médico em Québec dentro dos primeiros 30 dias. A fiscal de imigração, muito educada e simpática, carimbou o meu formulário IMM0535, assinou e me devolveu, anexando uma outra página nele com o telefone que eu deveria ligar para marcar a consulta.

A página que foi anexada na verdade era uma espécie de cartilha com informações sobre a tuberculose. Medical surveillance handout: inactive tuberculosis.

Chegamos no dia 3o de maio e no dia 04 de junho, já com o NAS e a carta de abertura da Assurance Maladie em mãos, minha irmã ligou para o telefone solicitado e conversou com a agente de saúde sobre o meu caso. Por que eu não liguei?! Pois estava com pânico de falar ao telefone. Meu francês estava (e ainda está) horroroso e a mana está aqui há seis anos…

Bom, a agente de saúde fez váááááárias perguntas sobre o meu caso: quando contraí a TB, quais os medicamentos tomei durante o tratamento, quanto tempo durou o tratamento, se fiquei internada, qual o nome do hospital, qual o nome do médico, se tinha viajado para fora do Brasil depois disso, quanto tempo fiquei nos países que visitei e por aí vai… Sanada as perguntas e satisfeita com as respostas, a agente disse que ligariam pra mim agendando o dia e o horário com médico mais próximo da minha residência.

Questionamos sobre a Assurance maladie, pois a carteirinha só chegaria em agosto. Ela disse que neste caso a carta de abertura que tem o número do meu dossiê era suficiente. Minha irmã informou também que a equipe médica de Ottawa já tem todas estas informações e os resultados de exames e laudos dos RX que fiz e refiz durante o processo. A agente explicou que este é o procedimento padrão.

Aguardamos uns quatro dias até que a secretária de uma clínica ligou para agendar minha consulta com uma médica bem pertinho da minha casa.

30 de julho às 07h50 lá estavámos eu, Fabricio e minha irmã/intérprete. Exatamente às 08h  a médica me chamou.

Consulta tranquila, médica maravilhosa e educadíssima. Fez TODAS as perguntas novamente, respiramos e respondemos calmamente ( porque já encheu o saco, né?!). Mostrei exames, laudos, tomografia e os RX’s. Ela pediu para xerocar alguns laudos. Por fim, me deu um novo pedido de RX para ser feito em Setembro.  Disse para eu ir ao hospital na parte da tarde, mostrar o pedido e fazer o RX. O resultado seguirá direto pra ela, que entrará em contato comigo.

No final da consulta ela disse:

_ Fique tranquila. Acompanharei você e o Fabricio. Sou sua médica de família!

Dois queixos caíram ao mesmo tempo: o meu e do Fabricio. Minha irmã já esperava que isso fosse acontecer. E lembrei da Julia { VoilàPourquoi } na hora, pois ela também “fez esta previsão”.

Depois deste perrengue todo que passamos com os exames médicos e exames médicos complementares, da pressão e do medo de não conseguir o visto por causa desta cicatriz pulmonar, respiramos aliviados e chegamos à conclusão de que realmente “Há males que vem para o bem!”

Bises

Carta anexada ao formulário IMM 0535 durante o landing - frente

Carta anexada ao formulário IMM 0535 durante o landing – frente

Carta anexada ao formulário IMM 0535 durante o landing - verso

Carta anexada ao formulário IMM 0535 durante o landing – verso

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Les Brazucois

:: Fabricio & Nilian . Aventuras e desventuras desses dois imigrantes em Québec, Canadá ::
Esse post foi publicado em Voilà. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Há males…

  1. gabi disse:

    bom, TB resolvida, agora vcs ganharam o prêmio que nem é de consolaçao, pois ha quebecsa que esperam anos e anos por um MD para chamar de seu 😉

    • Brazucoise disse:

      Pois é, Gabi, meu professor da Francisation me disse a mesma coisa. Ele, que é québecois, está há algum tempo nesta fila…
      Enfim, vida que segue!
      Beijos!

  2. Ana . disse:

    sortuda! Eu ainda estou penando atras de um. Um médico pediu uma ecografia porque ele achou um nodulo no meu seio, mas eu sei que é de gordura pq ja tinha feito no BR, fui la no hospital pra marcar ja tem mais de 5 meses e até hj nao me ligaram pra fazer o bendito exame, fico pensando se eu nao soubesse o que era ou alguem que em uma doença grave ficar todo esse tempo esperando é cruel.

    • Brazucoise disse:

      Não sei, Ana, se pelo fato de ter escolhido Charny-Lévis como residência ajudou nesse esquema. Minha mana acha que a TB assusta a galera aqui. Daí é prioridade acompanhar uma sequelada, como eu…
      Abração!

  3. Ucrambuco! disse:

    ai que bom Nilian! Feliz por vocês!

  4. Ana disse:

    Que demais Nilian! Essa história ainda assusta um pouco, a questão dos exames e de não ter médico de família. O pessoal na maioria diz que as clínicas sans rendez-vous quebram o galho, mas sei lá… Passamos no CLSC do nosso bairro pra avisar que estamos aqui, hehehe e também porque no site da RAMQ dizia pra se cadastrar como novo segurado, ou algo assim. Nem nos deram bola, disseram pra gente preencher a solicitação de médico de família pela internet e esperar…. Veremos!

  5. Julia disse:

    Eu já sabia! 😉
    Espero que vocês não precisem usar os serviços do médico de família além dos exames de rotina!

    Bises!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s