Quinze jours

Salut mes amis!

Quinze dias de Canadá e já fizemos tantas coisas que parece uma eternidade.

Já me sinto tão inserida e pertencente a este lugar que tenho a sensação de ter nascido aqui. O que me faz voltar à tona é a fraqueza do meu Francês. Ahhhhh… o francês québecois… Tô levando uma coça dia sim, dia também.

Fabricio, ao contrário, tira de letra. Ele já até conversou ao telefone e se saiu muito bem. Sou fã do meu marido, viu! Ele fala sem medo de ser feliz, se comunica e ainda faz piada…rs! E as piadas eu entendo…rs!

Acredito que daremos um up (principalmente euzinha) durante a Francisation, que começa em Agosto. Não vejo a hora!

Falando em Francisation, nos matriculamos também num curso de francês gratuito oferecido pelo Le Mieux-Être des Immigrants, uma instituição que ajuda os recém chegados, como nós. Iniciaremos nossas aulas por lá no dia 07 de julho. Além disso, nos inscrevemos para ganhar uma cesta básica a cada 15 dias, o famoso Service de Dépannage Alimentaire. E já fomos buscar nossa primeira doação na última sexta-feira. Vimos pessoas de várias nacionalidades e ficamos surpresos com a fartura da cesta, que de básica não tem nada (se comparada a do Brasil, é claro).

Atenção! A decisão de se inscrever para receber esta “cesta alimentar” a cada 15 dias é beeeem pessoal. Cada um sabe de si. Na minha humilde visão qualquer ajuda é bem-vinda. Vale lembrar também que não estamos morrendo de fome ou desabrigados ou na linha da miséria canadense. Somos imigrantes e recebemos algumas “regalias” por isso.

Por sermos imigrantes, imaginei que teríamos alguma dificuldade para alugar um apê por aqui. Ledo e abençoado engano! Foi tranquilo, rápido e sem aquela buRRocracia brasileira a que estamos habituados. Aqui tudo é prático e funciona. Conseguimos alugar o apartamento que mais gostamos num preço justo em Charny, um distrito de Lévis (do outro lado da ponte). Quero muito falar sobre nossa nova cidade em um outro post, pois a história de amor é longa!

Adianto que estamos felizes e precisaremos de um carro…rs!

Volto pra contar! Prometo!

Bises…

Cesta

Cesta

O apê

O apê

(:

(:

Anúncios

Sobre Les Brazucois

:: Fabricio & Nilian . Aventuras e desventuras desses dois imigrantes em Québec, Canadá ::
Esse post foi publicado em Voilà. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Quinze jours

  1. Leslie Carlos disse:

    Que Deus abençoe vcs!

  2. Ucrambuco! disse:

    Nilian que maravilha! Você está em Ville de Québec? Eu super curti essa idéia da cesta, você tem o link e o que precisa para se cadastrar? bjaooo

  3. Valéria Bortz disse:

    Essa coisa de tempo é muito loco mesmo!! Parece que vocês já estão aí há uma cara! Acho que é porque a gente sente que vocês estão curtindo muito. É bem o que você falou, sua danada québecois!! Bejim proceis!!

  4. Denise disse:

    Olá!! Sempre leio o seu blog que sigo no Brazucas no Canadá pelo Twitter… também sou brasileira e cheguei faz um mês aqui no Québec… vou fazer o mesmo curso que você no dia 7/julho… boa sorte para nós!! Denise.

  5. OI Nilian! Tudo bem?
    Bem vinda a Québec!
    Não se preocupe com o francês, eu também tive o mesmo problema quando cheguei (em dez/2013) e achava que nunca ia entender o que o povo daqui fala, mas superei. Há dias que, dependendo da pessoa que estou falando, eu não entendo praticamente nada, mas é só dizer um “Pardon” e eles repetem e então a conversa flui normalmente. No fim, tudo dá certo :).

    Bom, eu moro aqui em Ville de Québec, até 30 de Junho estou em Centre-Ville e depois do dia primeiro de julho, mudaremos para perto da Universidade. Sinta-se a vontade em me contactar se precisar de qualquer suporte, viu? Sei que sua irmã mora aqui e isso AJUDA muito, mas estou à disposição, ok?

    Beijocas e boa sorte nas próximas etapas!
    Stef

  6. gabi disse:

    15 dias! meu prazo util para acabar minha torturinha, torturona do estagio! e quem sabe a gente nao consiga se encontrar?

  7. Ana disse:

    Nilian, que ótimo poder ler notícias tão boas de vocês! Fico feliz que tenham encontrado um ap bacana para se instalar! Parece que as coisas só começam a acontecer mesmo quando estamos na nossa casa, pelo menos pra mim. Foi assim conosco quando chegamos em Montreal, mesmo já estando no país há uma semana.

    Sobre a cesta de alimentos, cada um sabe de si, sempre vai haver quem vai dar uma opinião desnecessária ou egoísta. Apenas vocês sabem de tudo que passaram pra chegar até aqui. Boa adaptação!

    Beijos!

  8. Ucrambuco! disse:

    Nilian, no caso, desculpa perguntar: mas a cesta vc via lá e faz o cadastro? Quais os documentos que eles pedem? bjaoo

    • Brazucoise disse:

      Ei, Mari!
      Nós fomos ao Mieux-être { http://meiquebec.org/ } nos inscrever no curso de Francês gratuito que eles oferecem lá para os imigrantes.
      Quando chegamos lá eles nos ofereceram a Cesta básica. Daí nos inscrevemos também. Tanto para o curso de francês, quanto para a cesta, apresentamos CRP ( confirmação de residência permanente), comprovante de residência e um comprovante de renda (extrato da sua conta bancária aqui).
      Se tiver qquer dúvida pode perguntar sim, viu!
      Beijos e até breve!!!
      Nilian

  9. Ana disse:

    OMG vcs imigraram para pedir esmola no Canada? Sabia que isto eh para pessoas pobres e aqui tem muito..pessoas que perdem emprego. crianças sem pai, filhos de maes solteiras e população dos first nation. Acredito que exigem uma certa quantia para chegar aqui, mas não para receber cesta básica. Olha o jeitinho ai minha gente. vergonha!

    • Brazucoise disse:

      Peço licença para a Nilian para colocar algumas palavras aqui…

      Ana, definitivamente, vc foi um tanto infeliz nas suas palavras!!!
      Não sei como foram as condições que você chegou aqui, mas, pelo jeito, devem ter sido infinitamente melhores q as nossas(e a da maioria dos imigrantes q chegam aqui)… Talvez a sua vida no Brasil tenha te proporcionado a oportunidade de fazer uma boa reserva para bancar sua estada aqui antes de conseguir entrar no mercado de trabalho… Talvez até vc tenha tido ajuda de seus pais ou parentes…

      Infelizmente, não tivemos a mesma sorte que você! Estamos aproveitando toda a ajuda que o ministério da Imigração e instituições como o Mieux-Être des Immigrants(cujo próprio nome já informa que é para ajudar imigrantes, e não crianças sem pai, filhos de maes solteiras…) oferecem para tornar menos complicados os primeiros passos de qualquer imigrante que chega aqui desempregado como nós chegamos! Esta é uma forma de fazer durar um pouco mais o suado dinheirinho q juntamos lá no brasil…

      Temos que deixar p/ trás os preconceitos orgulhosos e burros que normalmente temos numa cultura como a do Brasil!

      A ajuda que nos oferecem não é esmola e é muito bem-vinda sim! Preconceito como este não enche barriga nem paga as caras contas iniciais!

      Vergonha é trazer do Brasil p/ cá preconceitos como este, Ana!

      Fabricio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s